» » Técnica de furar com Madame

Técnica de furar com Madame

O espaço entre os dois riscos do graminha deve ser exatamente da largura do badale, Não se abrem furos com a pua antes de fazê-los com o badeja .me. Seria gastar o dobro do tempo inutilmente e até mais, porque os furos da pua atrapalhariam o bom andamento da operação. Evitemos também o uso do formão para retocar as paredes, pois isto faria com que os furos saíssem 1 e larguras desiguais.

1) Começa-se o furo na frente, alguns milímetros longe do risco que limita o seu comprimento.

2) Tira-se o primeiro cavaco, fazendo um pequeno furo cônico, e continua-se cortando dois ou três milímetros de cada vez, afundando mais e mais, de maneira que, ao chegar na extremidade que fica ao lado do operador, se tenha atingido a profundidade certa.

3) Tiram-se os cavacos e repete-se a operação, mas desta vez de trás para diante e de sorte que o badale atinja a profundidade máxima.

4) Corta-se a reserva que se havia deixado para não amassar as extremidades do furo, e estará a operação terminada. A profundidade dos furos, em certos casos, deve ser de dois terços da largura do montante, porém, o que determina de fato o comprimento e a grossura das espigas, é a resistência que se quer dar ao serviço.

Gostou do que viu? Compartilhe!